Gestão Pública

Programa Territórios Sustentáveis entrega 3 mil cestas básicas e kits de higiene para comunidades da Calha Norte, no Pará, como apoio no combate contra a Covid-19

Whatsapp

A ação faz parte de uma série de esforços de conscientização junto a população sobre os riscos do novo coronavírus, evitando ao máximo deslocamentos e contaminações de moradores de Faro, Oriximiná e Terra Santa

Quando foram anunciados os grupos prioritários para vacinação contra o novo coronavírus no Brasil, muita gente questionou por qual motivo ribeirinhos, quilombolas e indígenas estavam entre as primeiras populações a receberem a imunização. São povos que se encontram distantes das infraestruturas de saúde, normalmente quilômetros e quilômetros longe das cidades, com vias de acesso precárias. Imagine, então, o desespero dessas famílias quando os casos de Covid-19 começaram a surgir, assim como as mortes, além dos impactos pela perda de renda, de trabalho e pela insegurança alimentar que resultaram na paralisação da economia devido à pandemia.

“A doença nos pegou de surpresa, ficamos em pânico. Atingiu as pessoas psicologicamente também. Muito obrigada por terem vindo”, disse Taila Pinheiro Pantoja, no momento em que a equipe da Agenda Pública, como representante do Programa Territórios Sustentáveis, realizava uma das entregas de cestas básicas, kits de higiene, máscaras e folders com orientações de prevenção para 68 famílias na comunidade Paraíso, do município de Terra Santa, região da Calha Norte, no Pará. “Vai ser de grande valia, inclusive porque arroz, feijão, tudo está mais caro.”

No total, foram entregues 3 mil cestas e kits entre setembro, outubro e novembro a cerca de 1 mil famílias locais – uma para cada família, a cada mês, para mitigação da doença nos municípios de Faro, Terra Santa e Oriximiná. As ações foram possíveis por meio da iniciativa “PPA Solidariedade: Resposta à COVID-19 na Amazônia”, uma parceria entre Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), NPI Expand, Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA), Mineração Rio do Norte (MRN) e SITAWI Finanças do Bem. O Programa Territórios Sustentáveis, representado pela Agenda Pública, com co-investimentos da Mineração do Rio do Norte, irá responder à COVID-19 nos municípios de Oriximiná, Terra Santa e Faro, no oeste do Pará. 

Além do apoio às famílias com a entrega dos produtos, as ações também priorizaram a compra de itens no comércio dos municípios, como forma de fortalecer a economia local diante do cenário de vulnerabilidade. “Outro objetivo nosso com a ação era evitar o deslocamento dos moradores para as cidades, onde as chances de contaminação são maiores, e não levar o vírus para as comunidades que são bem isoladas, longe de auxílio médico”, afirma Eli Franco, responsável pela organização e logística de entrega das cestas e kits.  “As ações também vão ao encontro  da nossa atuação com foco no desenvolvimento econômico local das regiões. Essa assistência com certeza impacta na economia da comunidade, ajudando a mantê-la até ser retomado um mínimo de normalidade”, completa Giovanna Cardoso, coordenadora de projetos da Agenda Pública.

Vale destacar o apoio de parceiros locais que foram fundamentais para o trabalho, como a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Terra Santa, a Paróquia de São João Batista, a Associação das Comunidades das Glebas Trombetas e Sapucuá (Acomtags) e a Associação das Comunidades Remanescentes de Quilombos do Município de Oriximiná (Arqmo), para a escolha e a abordagem das famílias mais carentes.

Desafios, gratidão e orientação

Logo que começou o distanciamento social  para controle da disseminação do novo coronavírus, os portos para acesso de barco às comunidades foram fechados. Se por um lado era uma medida essencial e emergencial, por outro impediu o escoamento de produtos desenvolvidos pelos trabalhadores da região, por exemplo. Os impactos financeiros para a população foram muito negativos. 

“Com dificuldade de acesso à internet, uma boa parte dos moradores também não conseguiu baixar o aplicativo e acessar o auxílio emergencial do Governo Federal”, destaca Eli, que chegou a dar explicações na delegacia de Oriximiná por causa de uma informação falsa disparada na região via WhatsApp. “Alguém tirou uma foto do caminhão e disse que as cestas eram para compra de votos na época da eleição.”

Nove horas de navegação de barco, estradas que eram puro barro após chuvas, alagamentos. Todos esses desafios da equipe eram rapidamente esquecidos quando se deparava com a reação de alívio e gratidão dos moradores na hora das entregas. “Deu para ver na hora, especialmente entre aqueles que estavam mais distantes, o quanto sofreram e o quanto as cestas serviriam para superar uma necessidade alimentar que era realmente imediata”, diz Giovanna, que também ressalta a importância dos folders com orientações de cuidados higiene e sintomas da Covid-19 entregues aos moradores junto com os kits. 

“Todos paravam para prestar atenção nas informações”, diz a coordenadora. Entre folders, rádios, carro de som e redes sociais, a campanha “Eu uso máscara porque te respeito”, um dos eixos de ação que trouxe figuras representativas do povo paraense nas ilustrações, já alcançou cerca de 40 mil pessoas desde o segundo semestre de 2020. A meta era 30 mil pessoas. As máscaras, 12 mil entregues no total, foram adquiridas do movimento Máscara + Renda, criado para geração de renda de costureiras com a confecção de máscaras.