Desenvolvimento Econômico

Programa Territórios Sustentáveis realiza apresentação da estratégia da Pecuária Sustentável em Oriximiná

Aproximadamente 30 pecuaristas participaram da apresentação da estratégia para implantação do modelo de pecuária sustentável no município de Oriximiná, no oeste paraense. A programação foi realizada na tarde da quinta-feira, 7 de setembro, no plenário da Câmara Municipal de Oriximiná e o objetivo da adoção do modelo é conciliar o aumento da produtividade da pastagem, recuperação das áreas degradadas, conservação da floresta, o bem estar animal e as melhorias nas condições de trabalho dentro das fazendas.

Durante a apresentação das propostas para implantação do modelo foi apresentado aos pecuaristas o resultado do diagnostico elaborado a partir das visitas realizadas em maio pelos consultores do Programa Territórios Sustentáveis. Segundo o diagnóstico, parte das fazendas não possuíam a pratica de acompanhamento da produção no que diz respeito à pesagem do gado, número de cabeças de animais, o tamanho da propriedade.

Outro fator apontado levou em consideração a baixa conformidade com legislação fundiária e ambiental (titulação e CAR), do controle quanto à compra e venda dos animais, do sistema de modulação e rotação de pastagem, plano de adubação e suplementação necessária para o pleno desenvolvimento dos animais. “A nossa pecuária precisa melhorar, isso se você conversar com qualquer pecuarista ele vai admitir, e o que foi visto a partir do diagnostico e do intercambio é que é possível melhorar a produtividade em uma área trabalhada sem a necessidade de abrir novas áreas, pelo contrário, até recuperando as já desmatadas”, enfatizou o secretário de agricultura de Oriximiná Alexandre Carvalho.

A iniciativa de trazer o modelo de pecuária sustentável surgiu a partir de um pré-diagnóstico realizado em 2015 pelo Programa Territórios Sustentáveis onde constatou-se a necessidade de uma mudança de comportamento visando o melhor uso dos recursos. Com base nos dados, buscou-se iniciativas que deram certo, como a do pecuarista Mauro Lúcio, em Paragominas. “Eu tive que sair da minha zona de conforto. Foi um desafio muito grande era um modelo de pecuária muito diferente e começou em razão de um embargo do Ministério Publico Federal a carne do Pará, isso em 2009 e desde então começamos a trabalhar este modelo de pecuária diferente e desenhamos este projeto e hoje a gente tem deixado de exaurir os recursos naturais e este é o propósito do nosso trabalho”. 

Com o diagnóstico apresentado e discutido com os produtores, a iniciativa entra em uma nova fase, a de escolha dos modelos a serem adotados dentro das propriedades para melhoria da atividade de pecuária (para corte e leite). “Nós vamos montar um modelo adequado a realidade da região. Nossa ideia é que em cinco anos possamos ter esse modelo implantado. Hoje temos o cadastro dos pecuaristas e vamos definir junto a eles os critérios de escolha das propriedades, sejam de grande, médio e pequeno porte, e vamos juntos buscar desenvolver esse modelo que será pioneiro na região”, finalizou o consultor Adriano Páscoa.

O desafio do Programa Territórios Sustentáveis é estruturar um cenário de desenvolvimento autônomo e participativo que respeite o meio ambiente e que possa trazer melhores condições de vida a população dentro dos territórios de Faro, Terra Santa e Oriximiná, municípios do Oeste paraense. O programa é executado pela Agenda Pública, Equipe de Conservação da Amazônia (Ecam) e Instituto do Homem e Meio Ambiente (Imazon), com apoio da Mineração Rio do Norte (MRN).

Por Martha Costa