Desenvolvimento Econômico

Pecuária Sustentável na Amazônia

Whatsapp

É possível criar um modelo de Pecuária que seja sustentável, dentro do território amazônico? Este é o desafio que teve início no dia 8 de maio, em Oriximiná. O Programa Territórios Sustentáveis convidou os especialistas Mauro Lúcio e o Dr. Adriano Gomes Páscoa para compartilharem boas práticas em Pecuária Sustentável. No encontro, estiveram presentes mais de 40 pessoas, entre produtores rurais, alunos e professores das escolas técnicas e representantes do poder público. Durante a palestra, o pecuarista Mauro Lúcio apresentou o caso de Paragominas, no qual adquiriu uma ampla experiência para reduzir os impactos ambientais, aumentando a produtividade e ampliando as relações sociais entre os produtores rurais e o resto da cadeia pecuária. “A experiência de Paragominas teve vários desafios importantes que, ao serem superados, trouxeram um grande aprendizado sobre a implementação na prática de uma pecuária mais sustentável”, explicou o pecuarista convidado.

Entre alguns elementos das boas práticas estão o “desmatamento sem fogo”, que preza uma maior consciência na maneira de abrir a pastagem sem utilização de queimadas e o aumento de produtividade consciente por hectare, garantindo o uso da menor área possível para a atividade pecuária e permitindo o reflorestamento e manejo das florestas ao redor. Durante toda a semana, os convidados, junto com a equipe do Programa Territórios Sustentáveis, poder público e representantes dos produtores locais visitaram uma grande diversidade de fazendas para realizar um diagnóstico da situação atual do município de Oriximiná. “Encontramos diversos desafios na forma como as fazendas foram sendo constituídas e será necessário um plano estratégico que envolva os produtores para melhoria das condições para todos”, afirmou Mauro Lúcio.

“Este foi um momento importante de coleta de dados e informações. Os dois especialistas convidados puderam ter uma visão geral da situação regional, além de observarem o gado e as pastagens, bem como conversarem com produtores rurais e seus vaqueiros”, comentou Daniel Santos, consultor do Programa Territórios Sustentáveis.