Desenvolvimento Econômico

Aldo - Boas práticas na extração de Copaíba da Comunidade do Português, em Faro

Aldo começou a extração de óleo de copaíba cedo, incentivado pelo avô. Na época, pagavam 5 reais o quilo, não valia a pena . Com o tempo, conseguiu aperfeiçoar a forma de extrair e melhorar o valor de compra, encontrando atravessadores que lhe dariam até 30 reais por quilo de óleo extraído. Tudo mudou, a partir de um treinamento sobre a extração sustentável da copaíba, do Programa Origens Brasil, realizado pelo Imaflora.

Nessa formação, aprendeu a cuidar das copaiberas para que continuem saudáveis após a extração e, inclusive dar mais óleo de tempos em tempos. Dessa forma, o produto ganha mais valor.

Foi a partir dessa visão, que o Programa Territórios Sustentáveis convidou o Sr. Aldo para compartilhar sua experiência com extração sustentável da copaíba para os extrativistas da comunidade Português. Na última semana de maio, ele e Adenilson, ambos moradores da comunidade quilombola Tapagem, localizada no rio Trombetas,foram os protagonistas da formação de mais de 10 moradores da comunidade Português, na região da Floresta Estadual de Faro. Em quatro dias, Aldo e Adenilson ensinaram os extrativistas farenses sobre as boas práticas da extração sustentável da copaíba, multiplicando esse conhecimento e garantindo a preservação da Floresta e o aumento da geração de renda na região.

Este trabalho faz parte do eixo de desenvolvimento econômico do Programa Territórios Sustentáveis, que já havia realizado duas semanas antes, um mapeamento de 89 árvores de copaíba na região e formado 30 agentes ambientais comunitários.

Alguns dos moradores da comunidade Português foram capacitados para uso de GPS e estão elaborando um mapa de todas as copaibeiras do território da comunidade para realizar a extração - a partir de agora – de forma sustentável.