Capital Social

Educomunicação retoma atividades com Oficina sobre Influenciadores Digitais

Whatsapp

Falar sobre o uso das ferramentas da comunicação e como elas podem ser nossas aliadas em diversos aspectos, bem como seus riscos foi o desafio lançado pelos jovens quilombolas do município de Oriximiná e posteriormente , Terra Santa e Faro ao Programa Territórios Sustentáveis nos eixos Quilombola e Capital Social desenvolvidos pela Equipe de Conservação da Amazônia – Ecam, com apoio financeiro da Mineração Rio do Norte (MRN) e Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (Usaid).  

As atividades iniciaram em 2018, após a realização de um diagnóstico participativo e colaborativo desenvolvido pelo Eixo Quilombola com jovens dos oito territórios remanescentes dos quilombos de Oriximiná que deram início ao projeto YouTube Quilombola com a produção de vídeos que retratam a realidade das suas comunidades. “Nossa proposta foi ouvir os jovens para então a partir das expectativas deles pensarmos colaborativamente as atividades que atendessem suas demandas, surgindo as capacitações em Educomunicação no eixo quilombola, ampliando-se posteriormente para o eixo Capital Social atendendo jovens de Oriximiná, Terra Santa e Faro”, recordou o coordenador da Ecam Edwilson Pordeus.  

O projeto da Educomunicação buscou pensar em cada tema e como poderiam ser trabalhados a ponto de despertar o interesse dos jovens, ao todo mais de 200 jovens participaram das oficinas de Roteiro abordando os diferentes tipos de mídias, produção, gravação e edição de vídeos em dispositivos móveis, criação de páginas na internet, redes e mídias sociais e assessoria em mídias sociais. “Nós fomos desafiados pelos jovens quilombolas com essa proposta de oficina e enquanto equipe iniciamos o planejamento das ações ampliando para o eixo Capital Social. A primeira turma foi estimada para 20 jovens e tivemos a participação de 45 jovens, isso nos mostrou que o projeto era realmente de interesse deles”, enfatizou Martha Costa, responsável técnica pelo projeto.

Com os jovens quilombolas o projeto cresceu e todos os meses juntamente a Associação das Comunidades Remanescentes de Quilombos de Oriximiná (Arqmo) são realizados encontros de Educomunicação, com jovens de Boa Vista Trombetas, Abuí, Nova Esperança, Jarauacá, Jauary, Cachoeira Porteira e Ariramba. “Eu acredito que a Educomunicação é realmente uma ferramenta de empoderamento para os povos e envolver os jovens neste diálogo é pensar no fortalecimento das associações, sindicatos, conselhos e classes representativas e potencializar novas lideranças. Nós ampliamos o projeto, com isso atraímos novos parceiros dentro dos municípios como os Cras, os Centros de Convivência e outras parcerias. Nós estamos cada vez mais confiantes e construindo junto aos jovens esse projeto que é muito mais deles que nosso”, ressaltou Vasco Van Roosmalen, presidente da Ecam.

Na primeira quinzena de abril as atividades do eixo Capital Social reiniciam nos três municípios, Oriximiná, Terra Santa e Faro e abordarão o marketing digital por meio dos influenciadores digitais, “Digital Influencer”, que são profissionais de alto impacto que conquistam seguidores e fãs, por meio da produção de conteúdo nas mídias sociais (Instagram, Facebook, YouTube) e blog para fins da informação podendo abranger os aspectos culturais, entretenimento ou consumo.

Quer saber mais, acompanhe o Programa Territórios Sustentáveis no nosso site www.territoriossustentaveis.org.br ou nas nossas redes sociais Territórios Sustentáveis no Facebook, Twitter, Instagram, YouTube e App.

 

Mais informações, Martha Costa – Assessora de Comunicação da Ecam